No lugar das Amoreiras, Ribeira das Tainhas, Concelho de Vila Franca do Campo, situa-se a Quinta Velha das Amoreiras, que se estende numa área de 2,604 hectares, desde a estrada Municipal, denominada Rua das Amoreiras, até ao mar.

A entrada da Quinta Velha faz-se por um portão grená escuro, construído nos anos 90, depois de partilhas, e nele tem reproduzido o brasão de armas concedido em 1766 ao Capitão-Mor João Francisco Pacheco de Bettencourt.

 As fontes documentais atestam que desde 1755 a Quinta foi passando por herança sucessiva na mesma família.

Era uma propriedade de vinhas e pomares, enriquecida com a construção de estufas de ananases.

Nos anos 70, a vinha foi substituída por bananais e diversos produtos agrícolas, tendo restado uma Adega e um Alambique totalmente desactivados. Estes dois edifícios foram agora alterados e ampliados de modo a permitir a instalação e funcionamento de um empreendimento de Turismo em Espaço Rural, com a classificação de Casas de Campo, denominadas: Casa do Alambique, Casa do Lagar e Casa da Pipa, com uma vista espectacular para o mar, estando sempre presente o Ilhéu de Vila Franca do Campo.

Na orla marítima, confinante com a propriedade, existe uma piscina natural que foi aumentada e beneficiada pela mãe da actual proprietária, encrostada na pedra negra vulcânica e com acesso directo ao mar. Como alternativa para uns bons banhos, existe uma outra piscina artificial junto às casas e com ampla vista de mar.

A  Quinta Velha das Amoreiras fica a cerca de 5 km de Vila Franca do Campo. Trata-se de uma quinta agrícola que se distingue por ter acesso pelos seus próprios terrenos a uma piscina natural, encrustada na rocha vulcânica, conciliando num único lugar a paz do campo e a frescura do mar.
Situa-se na costa sul, praticamente a meio de S. Miguel, tornando-se um sítio propício a quem pretende conhecer a ilha de uma ponta à outra e encontrar o merecido descanso para relaxar depois de todas as aventuras de descoberta das nossas belezas naturais.
É necessário dispor de viatura.